Sindicato Dos Servidores Públicos Do Estado De São Paulo

(11) 3106-5098 / 3112-8455
R. Silveira Martins, 53 - Sé
Seg - Sex 09:00 às 16:30

Greve dos petroleiros recebe apoio dos caminhoneiros que fecham porto de Santos

  • IMPRENSA
  • /
  • FEB 2020
  • /
  • 52

 

Desde a meia-noite desta segunda-feira (17), caminhoneiros ligados ao Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários Autônomos (Sindicam) paralisaram o acesso ao Porto de Santos em apoio à greve dos petroleiros, que entrou em seu 17º dia.

Presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí (Sindtac-Ijuí), Carlos Alberto Dahmer, disse que os motoristas realizam protestos às margens das rodovias em todo país, mas, até 10h, o único registro de interdições com bloqueios era o do Porto de Santos.

O movimento deve prosseguir ao menos até quarta-feira (19), quando estavam previstas para serem julgadas no Supremo Tribunal Federal (STF) três ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs), movidas por entidades do setor patronal. Porém, ministro Luiz Fux, adiou o julgamento das ações a pedido da Advocacia Geral da União (AGU), órgão do governo federal. Ainda não há nova data para o julgamento.

Dahmer criticou a política da Petrobras de atrelamento dos preços dos combustíveis às flutuações do mercado, bem como o desmonte da estatal, com demissões em massa e venda de ativos. “Em diversos lugares do mundo se guerreia pelo petróleo. Aqui se dá de graça, para que os grandes oligopólios se beneficiem. Tiram das nossas refinarias a sua capacidade, deixam a companhia ociosa para garantir o lucro das empresas estrangeiras. Essa luta não é só dos caminhoneiros, não é só dos petroleiros. É de toda a sociedade”, afirmou o presidente do Sindtac-Ijuí para o Jornal Brasil Atual, nesta segunda-feira (17).

PETROLEIROS

A greve dos petroleiros entra em sua terceira semana e de acordo com os profissionais há riscos de desabastecimento devido a intransigência do governo Bolsonaro, que segue intransigente e se nega a negociar. Os petroleiros estão em greve, desde o dia 1º, em defesa da Petrobras como maior patrimônio público do povo brasileiro, e contra as cerca de mil demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR).

Segundo o diretor da Federação Única dos Petroleiros (FUP-CUT) João Antônio de Moraes, a paralisação atinge 120 unidades da estatal em todo o país, com mais de 20 mil trabalhadores de braços cruzados.

SISPESP

O diretor do SISPESP, Claudinei Silva, disse que o Sindicato apóia a paralisação dos petroleiros e caminhoneiros. “Enquanto servidores públicos precisamos dar nosso apoio, ao menos moral. É uma obrigação para nós! Não podemos ser neutros nesta questão. A Petrobras é um patrimônio de todo brasileiro”, comentou o sindicalista.

Foto: Uol 

Atendimento

De Segunda à Sexta-Feira das 09:00 às 16:30h

Endereço:

R. Silveira Martins, 53 - Sé
Centro - São Paulo/SP - 01017-010

Telefone:

(11) 3106-5098
(11) 3112-8455

Fliado a:

SISPESP SISPESP

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba as últimas notícias e novidades!


Redes Sociais

Siga-nos se você quiser se manter atualizado sobre o que está acontecendo !!!
2019 © Todos os direitos reservados. Desenvolvido por DIAPOIO