Sindicato Dos Servidores Públicos Do Estado De São Paulo

(11) 3106-5098 / 3112-8455
R. Silveira Martins, 53 - Sé
Seg - Sex 09:00 às 17:00

Presidente da NCST defende solidariedade ampla

  • IMPRENSA
  • /
  • JAN 2021
  • /
  • 52

O presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores - NCST, José Reginaldo Inácio, participou quarta-feira (24) de live que discutiu o futuro do movimento sindical. O bate papo foi conduzido por Oswaldo Augusto de Barros, coordenador nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores - FST e presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura – CNTEEC. 

José Reginaldo Inácio apresentou dados resultantes do estudo “O que está por vir em 2021”, em 20 pontos apresentados revista “The Economist” (veja aqui). O conteúdo traça, em tópicos, as principais tendências e transformações no mercado de trabalho, na economia, nas relações sociais e culturais. Estar atento a essas transformações, avalia o presidente da NCST, “é fundamental para fortalecer as bases estruturantes do sindicalismo do futuro”, recomendou (veja aqui a versão original, em inglês).

Desafios da transformação econômica/tecnológica – “Questões centrais que impactam o mundo do trabalho como a automação e a substituição da mão-de-obra humana por tecnologias autônomas; os ataques a direitos com a predominância de uma agenda econômica desumana, que considera como despesa os investimentos em políticas públicas de proteção social, representam os maiores desafios da organização sindical moderna. É preciso que todas as nossas ações levem em consideração este cenário que se impõe, uma vez que atendem aos interesses do capital, da elite econômica e política, no Brasil e no mundo”, alertou o líder sindical.

Desproteção social em curso - “As reformas conduzidas nos últimos anos, colaboraram, definitivamente, para o desmonte da proteção social no país. Essa desproteção fica mais visível e se torna mais cruel nesses tempos em que o país se depara com uma pandemia fora de controle. O movimento sindical precisa ter uma compreensão da realidade de que precisamos não somente representar o trabalhador empregado como, também, àqueles que estão à margem desta proteção social. Hoje os três poderes não estão protegendo a classe trabalhadora. A última trincheira dessa resistência só se concretiza pela atividade sindical”, afirmou Reginaldo.

 Analfabetismo funcional e político - “Importante que o chamado analfabeto funcional não seja, para além dessa condição, um analfabeto político, sem consciência de classe. Esse é um ponto central que precisa ser atacado urgentemente. O segundo caso é tão grave quanto o primeiro, uma vez que não se reconhecer integrante de uma categoria ou classe social age diretamente contra a organização da classe trabalhadora, com consequente redução do seu poder de barganha junto à classe política e empresarial. Precisamos levar uma formação às categorias para que tenham um mínimo instrumental para enxergar o papel da política como ferramenta de transformação”, reforçou o líder sindical.

Trabalhadores vulneráveis em tempos de pandemia – “Profissionais da educação e da saúde estão, hoje, expostos a toda sorte de desproteção econômica e sanitária. Essas categorias são estruturantes e indispensáveis para a consolidação da cidadania. Esse é um tipo de ataque às categorias do setor público que retira o cidadão comum, usuário destes serviços, um mínimo de condição para interagir com as instituições democráticas, inviabilizando cenário que favoreça mudanças que possam mudar sua realidade para melhor”, alertou o presidente da NCST.

Vacinação - Jose Reginaldo reforçou que, para o momento, uma ampla vacinação nacional contra a Covid-19 é elemento central para o resgate do crescimento econômico  e a reativação de postos de trabalho. “As entidades sindicais precisam se alinhar aos esforços coletivos que visam proteger a vida da população e que jogam pressão política nas autoridades para que a vacinação ampla se concretize no intervalo mais urgente possível. Somente assim conseguiremos poupar outras milhares de vidas que se encontrarão vulneráreis até que alcancemos a chamada imunidade de rebanho”, concluiu.

Clique aqui e assista.

Fonte: NCST com CNTEEC

 

Atendimento

De Segunda à Sexta-Feira das 09:00 às 17:00h

Endereço:

R. Silveira Martins, 53 - Sé
Centro - São Paulo/SP - 01017-010

Telefone:

(11) 3106-5098
(11) 3112-8455

Fliado a:

SISPESP SISPESP

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba as últimas notícias e novidades!


Redes Sociais

Siga-nos se você quiser se manter atualizado sobre o que está acontecendo !!!
2019 © Todos os direitos reservados. Desenvolvido por DIAPOIO